fbpx
 Curso “Jornalistas em Áreas de Conflitos” acontecerá em Cuiabá-MT

O curso será ministrado pelo instrutor policial, especialista em explosivos, gerente de crise e negociado, João Henrique Ribeiro de Macaé – Rio de Janeiro e pelos organizadores da capital nos dias 20 e 21 de novembro deste ano.


Exercer de forma segura conhecimentos primordiais sobre equipamentos de segurança, armas de fogo e como proceder em situações onde há necessidade da presença dos profissionais de comunicação em áreas de risco, são alguns dos principais objetivos do “II Curso para jornalistas em Áreas de Conflitos” que acontecerá em Cuiabá-MT, com duração de 16 horas, organizado pelo gabinete do vereador por Cuiabá, T. Coronel Paccola, com apoio do Grupo Força e Honra e do Centro de Treinamento Tático Operacional (CTTO).


“Uma excelente oportunidade de capacitação para os profissionais que atuam na área de comunicação em um estado marcado por rebeliões e conflitos. O preparo é sempre uma brecha para melhorarmos os nossos níveis de dinamismo no exercício das nossas atividades”, diz o parlamentar.


Os profissionais que atuam na comunicação terão a oportunidade de conhecer a importância dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para que possam atuar nas coberturas jornalísticas de áreas de conflitos. Noções de primeiros socorros e, principalmente, o momento certo de recuar para sair da área de conflito em segurança também serão ministradas pela equipe de organização e apoio. Armas de fogo serão utilizadas para que os participantes tenham a experiência de como se deve proceder caso encontre o objeto nas áreas de conflito, quais os documentos necessários expedidos pela Polícia Federal (PF) e Exército Brasileiro para obter o porte e como ser habilitado para uso.
Na oportunidade, serão demonstrados os diferentes tipos de armas, calibres e informação do poder de alcance de cada uma. O ” I Curso de Jornalismo em Áreas de Conflito” foi realizado em Macaé- Rio de Janeiro em setembro deste ano. A prática orientou os participantes sobre os movimentos adequados e como reagir em várias situações reais. Uma delas é entrar na área de risco, contando com o apoio do agente de segurança para que não haja nenhum dano aos integrantes da equipe, quanto a hora de recuar em situação de tiroteio, sair do veículo que estiver sendo alvejado e de como usá-lo como proteção.


Para a jornalista Liliane Barboza, que hoje mora em Macaé, Rio de Janeiro, este preparo é estritamente necessário, uma vez que já participou de coberturas jornalísticas em presídios de Mato Grosso. “No início da minha carreira participei de diversas coberturas jornalísticas em áreas de conflito. Tudo foi feito na ‘raça’, como nas rebeliões do Presídio do Carumbé, em Cuiabá. As informações eram transmitidas em meio às bombas, tiros e incêndios. Nem sei como sair viva destas ações. Ter hoje esta oportunidade é relevante para que os profissionais sejam preparados para atuar em qualquer local do mundo”, destaca. 


No final do curso, todos os participantes receberão certificados de conclusão entregues pelos organizadores. As inscrições devem ser realizadas através do formulário eletrônico e o curso terá o custo de R$100,00, com vagas limitadas.


INSCRIÇÃO – JORNALISTA EM ÁREA DE CONFLITO: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfrq41Al8OmOeljDAY7UQqZoPFqdgWQKJBmT214G0n23p96Yw/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?