Câmara vota Comissão Processante no dia Internacional de Combate à Corrupção

Declarado pela Organização das Nações Unidas (ONU), 09 de dezembro é celebrado o Dia Internacional de  Combate à Corrupção.

O requerimento para abertura da Comissão Processante foi lido durante a Sessão Ordinária da última terça-feira, 07 e deve ser apresentado para votação na manhã desta quinta-feira, 09. O documento foi protocolado antes da leitura do relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito dos medicamentos, que investiga os milhares de medicamentos vencidos encontrados no Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá, pelo membro titular, vereador T. Coronel Paccola.

“Diante de tantas provas levantadas pela CPI DOS MEDICAMENTOS e pelas Operações Policiais já realizadas nesta gestão, está comprovada que a desestruturação da assistência farmacêutica proporcionada pelo prefeito Emanuel Pinheiro, acarretou nos vencimentos absurdos de medicamentos, ele tem responsabilidade direta pela ação e omissão. Neste requerimento constam todas as provas que foram produzidas para que não restem dúvidas e para que este parlamento tome uma atitude de no mínimo abrir esta Comissão Processante, afinal, chegou o momento decisivo para que a população saiba quem são os parlamentares contra a corrupção”, declara Paccola.

De acordo com o Regimento Interno da Casa de Leis, quem apresenta o requerimento, não vota. Por isso, nesta quinta-feira quem assume o lugar do requerente é a suplente Maysa Leão do time Cidadania. “Este requerimento está embasado no resultado da CPI DOS MEDICAMENTOS que demonstrou envolvimento do prefeito, e como são necessários 13 votos, assumo como vereadora para que possamos alcançar o maior número de votos contra a corrupção. Quanto sofrimento foi gerado pela falta desses medicamentos nas unidades de saúde? quanto dinheiro foi jogado fora? quanta dor? quanto descaso? Precisamos mudar nossa realidade? diz a Suplente.

No aspecto social a corrupção provoca má qualidade do serviço público ou em casos mais graves, o risco à vida. Na perspectiva política, enfraquece o sistema democrático e o estado de direito. Na temática ambiental, a degradação, a grilagem de terra e o enfraquecimento da legislação são consequências da corrupção. O cenário econômico é altamente prejudicado pelos desvios de recursos.

“O combate à corrupção trata-se de um entendimento mais aprofundado da adoção de novas práticas, compreensões, conceitos e posturas. Ela afeta gravemente a SEGURANÇA DA COLETIVIDADE, uma vez que deixa de atender os serviços básicos do cidadão, impactando diretamente na perspectiva dos direitos humanos. É preciso compreender este sistema dotado de mecanismos para que relações com interesses escusos não se estabeleçam”, finaliza Paccola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Como posso te ajudar?