fbpx
 Paccola defende PM´s presos: ‘Vagabundo’ armado deve morrer”

Vereador que já integrou o BOPE defende militares em ação que cumpriu mandados de prisão contra 81 militares nesta quinta-feira (31).

O vereador por Cuiabá, Tenente Coronel Paccola criticou a Operação Simulacrum realizada pela Polícia Civil e defendeu os policiais militares presos, afirmando que a ação terá efeito negativo na sociedade. A Simulacrum foi deflagrada para cumprir 81 mandados de prisão temporária contra policiais militares e 34 mandados de busca e apreensão que investigavam um grupo de policiais que teriam atuado na morte de 24 pessoas, em Cuiabá e Várzea Grande, além da tentativa de homicídio de outras quatro pessoas.

Paccola é militar e já atuou no Bope (Batalhão de Operações Especiais) por 10 anos. Na sessão Ordinária da Câmara de Cuiabá do mesmo dia da Operação, o vereador afirmou que a Operação teve como base a delação de um suposto integrante de facção criminosa. 

“É uma manhã de bastante tristeza, porque os militares foram atuar, mataram faccionados e foram presos acusados de simular confrontos. E muitas vezes ouvimos: ‘Como há confronto se o ‘vagabundo’ não atirou?’. Tiveram três situações na minha vida em que comecei a tomar tiro, não tive oportunidade de começar atirando. E nós não conseguimos virar o jogo”, afirmou.

O parlamentar afirmou ainda que se um criminoso ‘bate’ de frente com a polícia, ele está disposto a matar um cidadão e até um policial. “Quando o criminoso atira primeiro é porque a polícia falhou. A polícia tem que agir primeiro. E ‘vagabundo’ que sai com arma na mão para roubar, está disposto a tomar tiro para morrer. ‘Vagabundo’ que sai armado na rua tem que ir para ‘pedra’. Bateu de frente com a polícia, tem que morrer. Se está disposto a matar um cidadão, um policial, tem que ir para vala, sim”, acrescentou.

O oficial relembra que já passou por processos judiciais em que teve que responder por mortes durante ações policiais. “Quero me solidarizar, porque diversas vezes passei o que esses policiais estão passando, de estar ali em uma ocorrência e cinco, três, dois ou um ‘vagabundo’ ser morto em assalto a banco. E falam: “Amanhã, vocês estão presos. Acredito não ser necessário fazer desta forma, abre um processo, uma denúncia aos policiais. Os senhores verão o quanto isso vai impactar negativamente nas ações da Polícia em defesa da sociedade”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?