fbpx
 Paccola: “O crescimento do número de militares no pleito 2022 é positivo”

Neste ano, Mato Grosso deve ter pelo menos 10 militares disputando cadeiras na ALMT e na Câmara Federal.

Pré-candidato à Assembleia Legislativa, o vereador por Cuiabá, T.Coronel Paccola (Republicanos) não se vê ameaçado pelo número de militares que sairão candidatos nas eleições proporcionais deste ano, afirmando que o engajamento da Corporação deve ser visto como algo positivo para a classe.

“Eu defendo que quanto mais militares dispostos a se candidatar, demonstra que a Entidade está amadurecendo para entender que só vamos evoluir quando conseguirmos olhar a política como algo estratégico para defender as pautas institucionais e que o profissional de segurança deve ultrapassar as barreiras”, afirmou.

Paccola também descarta o risco de pulverização dos votos pelo número de militares pré-candidatos e que devem sim buscar apoio de todo núcleo social.

“A polícia não elege ninguém sozinha, mas ela decide. Os candidatos precisam ter uma base dentro da polícia, mas precisam ter outras bases fora, que somadas deem quantidade expressiva de votação para garantir a vaga pela maior votação na chapa”, avaliou.

Além de Paccola e Elizeu – que vai à reeleição –, também devem sair candidatos a deputados estaduais, entre os militares, o vereador por Barra do Garças, sargento Ronair Nunes (PSDB); o sargento Laudicério Machado, pelo Agir 36; o tenente-coronel Sandro Barbosa, pela região Sul do Estado; e a ex-candidata a vice-prefeita de Sinop que disputou o cargo pelo Podemos, em 2020, a sargento Lucélia Alves dos Santos.

“A política está evoluindo. Vejo que os candidatos estão se preparando a cada nova disputa para que a nossa política e o nosso país sejam governados e que as principais decisões sejam definidas por pessoas capazes nestes cargos estratégicos”, finaliza Paccola.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?